Análise: 1/2 Full

o-GLASS-HALF-FULL-facebook.jpg

Half Full é o dedo colado no botão de ‘foda-se’ do Riot Act. Ela é a música mais sensacionalmente descompromissada que eu já pude escutar do Pearl Jam.
Sou suspeito a falar dela, pois essa música dividiu águas em minha jornada como ouvinte de Pearl Jam. Mas isso é causo pra outra hora.

Primeiro vamos abreviar uma pequena análise do Riot Act.
Riot Act é um disco com uma pegada de protesto, arrependimento e, em algumas ressalvas, redenção.
Os pronomes pessoais (principalmente no singular) são via de regra em cada música. Então nos deparamos com Half Full, uma música no plural.
Desculpem a analogia tão diferente, mas ela ilustra o que Half Full representa dentro do Riot Act.
Half Full é a música que exclama, em alto e bom tom “Ninguém irá nos salvar”?

Mas antes desse final voltamos ao início.
Eu disse que Half Full é o dedo colado no botão de ‘foda-se’, mas em nenhum momento quis transmitir um tom pejorativo, mas voltado ao meu entendimento da música.
O riff de Half Full é leve e descompromissado. A guitarra de Stone fica Dropada em D (mí), e faz um ritmo que parece andar em círculos o tempo todo. Junte isso ao talento de Mike McCready em flutuar dentro desse riff cheio de distorção e muita técnica em uma música com solos do começo ao fim e pronto; temos um incrível registro para incluir no disco.

Eddie, extremamente inspirado pelos fato do 11 de setembro de 2001 e da eleição de George Bush, conduziu a música para algo em tom de derrota.
Observe a letra inteira abaixo.

“Escalando uma montanha, boiando no mar longe das luzes de uma cidade, os elementos falam para mim…

Sussurrando que a vida existia muito antes da cobiça, equilibrando o mundo em seu joelho…

Não veja alguns homens como metade vazios, veja-os como metade cheios de merda pensando que somos todos nada além de escravos… não haverá…

Mais meio que isso já foi dito antes. Os apoderados se apoderando mais e mais e ainda entediados…

Ninguém irá salvar? Ninguém irá salvar? O mundo?

Da mesma forma que a letra exclama derrota, ela tem no final sua pitada de reflexão.
A canção começa afirmando nossa insignificância perante o mundo, então ela caminha e seu tom de protesto vai subindo até chegar no ápice, quando a banda inteira deixa apenas a guitarra de Stone isolada; então Eddie exclama sua indagação: “ninguém irá salvar?” …

A voz do Eddie vai aumentando juntamente com a banda, que vai se reestabelecendo e aumentando o volume junto. Tudo isso vai levando Half Full a um final apoteótico, alto e extremamente exclamativo onde toda banda entra numa sincronia inacreditavelmente linda e natural. A voz de Eddie Vedder conduz como as mãos de um maestro fazem perante à orquestra e tudo soa muito autêntico nessa parte.
Às vezes, entrar no estúdio e simplesmente deixar rolar te leva a lugares incríveis dentro da música. Eu tenho uma forte impressão que isso aconteceu em Half Full, a banda confiou na guitarra de Mike McCready e tudo foi nascendo naturalmente. Óbvio que isso é um sentimento meu, quem dera eu estar lá na hora que a banda estava compondo essa música.

A liberdade para inventar, e a capacidade de Mike McCready e Eddie Vedder como músicos (sem desmerecer os outros membros da banda), aliados ao direito próprio da banda de chegar no estúdio e deixar tudo rolar, culminou em Half Full.

Half não deve ter sido a única vez que a banda adotou essa postura no estúdio, mas com certeza foi uma das vezes que mais deu certo e que transpareceu ter sido criada dessa maneira.

Eu particularmente acho que são nesses momentos que as coisas mágicas acontecem!

 

Anúncios

Download (áudio) da Turnê Solo do Eddie

19679007_10154721844913133_8991015795186435416_o.jpg

Olá pessoal! Disponibilizamos para download os 13 shows que o Eddie fez recentemente na Europa + aquela escapadinha que ele deu em Nova Iorque e tocou em um evento beneficente.

Os áudios são todos em MP3 Audience (gravados pelo público) e não sabemos a qualidade de gravação de todos. Quem quiser ajudar, coloca nos comentários a qualidade do show (ou shows) que baixarem.

Ah, o show de Cork é um arquivos só, não está dividido por músicas.

Download:

EDDIE VEDDER – EUROPE SOLO TOUR 2017

Setlist do Segundo Show do Eddie em Taormina

19467667_1778788678814685_947274343407542853_o.jpeg

Ontem foi o último show solo do Eddie nessa turnê europeia! Abaixo, o setlist da apresentação:

01. Trouble-(Stevens)
02. Brain Damage-(Waters)
03. Sometimes
04. Throw Your Arms Around Me-(Archer, Falconer, Howard, Miles, Seymour, Smith, Waters)
{Ed addresses the audience in Italian}
05. Elderly Woman Behind The Counter In A Small Town
06. Off He Goes
07. Thumbing My Way
08. You’re True
Quartet enters the stage
09. Satellite
10. Here Comes The Sun-(Harrison)
Quartet exits the stage
11. Wishlist
12. Let My Love Open The Door-(Townshend)
13. Far Behind
14. Guaranteed
15. Long Nights with Glen Hansard playing bass
16. Rise
17. Good Woman-(Marshall)
18. Better Man
19. Immortality
20. Lukin {front only} (Ed gets lost and stops.  People shout out songs including “Slow Lukin”.  He says I agree.  It was a mistake.  You want something else.)
21. Porch
(Ed invites a young boy named Jake onstage.  Ed jokingly offers him some wine and has the house lights brought up so Jake can see the audience.  He then has the lights dimmed and people turn on their phone flashlights and wave them around.  He has Jake “blow” the lights out.}
22. I’m So Tired-(Fugazi)
23. Imagine-(Lennon, Ono)
Quartet enters the stage
24. The Ship Song-(Cave)
25. Black {after the song is over the audience starts singing the wordless outro on their own.  It goes on long enough that Ed and the strings start playing again}
26. Sleepless Nights-(Bryant, Bryant) {Busking style-no PA, monitors or amplification with Glen.  Ed plays Uke.  Strings don’t play until the ritardando}
27. Just Breathe  {Not the complete song just the first two lines as Willie Nelson.  Ed teases Glen by asking him if Willie ever played one of his songs.  Glen admits he hasn’t.  Ed then points out the Glen has won an Oscar for his song)
28. Falling Slowly-(Hansard, Irglová) with Glen Hansard.  {Glen sings lead and plays guitar.  Ed sings harmony}
Quartet exits the stage
{Ed invites a person on stage he jokingly refers to as Dennis Rodman.  It is just a tall guy named Fabrizio (sp) in a Rodman jersey.  He then tells a story about falling in love with Sicily while paddle boarding)
29. Smile with Glen Hansard {Glen plays guitar.  Ed plays harmonica and sings.}
30. Rockin’ In The Free World-(Young) with Glen

26 de Junho: Eddie Vedder em Taormina

греко-римский-театр.jpg

Local: Teatro Antico di Taormina

O local foi construído 300 A.C e foi usado, durante a época do império, para lutas entre gladiadores e animais ferozes. Ele é hoje utilizado para concertos musicais, como o do Eddie hoje, apresentações de teatro e também abriga o festival de cinema de Taormina.

Cidade: Taormina

Hora: 21:00 (hora local)

POSTER:

WhatsApp Image 2017-06-26 at 13.47.17.jpeg

SETLIST:

Ed On Stage  09:55
Ed Off Stage  12:09
Intro Music: Batman-(Neal Hefti) Harper and Eddie Vedder/Tuolumne

The Red Limo String Quartet are:
Sietse van Gorkom-violin
Camilla van der Kooij-violin
Rani Kumar-viola
Jonas Pap-Cello

01. Long Road
02. Bad-(U2)
03. Wishlist
(Ed addresses the audience in Italian)
04. I Am Mine
05. Can’t Keep
06. Without You
Quartet enters the stage
07. Sleeping By Myself
08. It Happened Today-(Buck, Mills, Stipe)
Quartet exits the stage
09. Drifting
10. Setting Forth
11. No Ceiling
12. Far Behind
13. Guaranteed
14. Rise
15. Picture In A Frame-(Brennan/Waits)
16. The Kids Are Alright-(Townshend)
17. Out Of Sand
18. Better Man/Save It For Later-(Charley, Cox, Morton, Steele, Wakeling)
19. Porch
20. Isn’t It A Pity-(Harrison)
21. Crazy Mary-(Williams) {during “pass it around” outro Ed invites a guy from Croatia up to the stage to grab Ed’s bottle of wine so he can pass it around.}
Quartet enters the stage
22. Jeremy {during song Ed goes into the audience}
23. “Heroes”-(Bowie, Eno)-partial
24. Just Breathe
25. Lukin (fast)
Quartet exits the stage
26. Song Of Good Hope-(Hansard) with Glen Hansard {Ed sings main vocal. Glen plays acoustic guitar and sings harmony}
27. Sleepless Nights-(Bryant, Bryant) with Glen Hansard {performed busking style-no amplification}
28. Society-(Hannan) with Glen Hansard
Quartet is called to the stage
29. All Along The Watchtower-(Dylan) with Glen Hansard & Strings
30. Hard Sun-(Peterson) with Glen Hansard, Red Limo string quartet (singing) and Ed’s daughters

 

Setlist do Eddie em Florença – 24/6/2017

19401999_642145445984119_8070180740241715046_o.jpg

Ontem o Eddie tocou em Florença e fez um excelente show (pra variar)!!! Abaixo, o setlist da noite:

Ed On Stage  10:40
Ed Off Stage  12:47ish
Intro Music: Tuolumne

01. Elderly Woman Behind The Counter In A Small Town
(addresses audience in Italian)
02. Wishlist
03. Immortality
04. Trouble-(Stevens)
05. Brain Damage-(Waters)
06. Sometimes
07. I Am Mine
08. Can’t Keep
09. Sleeping By Myself
10. Far Behind
11. Setting Forth
12. Guaranteed
(Ed says Italy will always mean the world to him because that is where he met his wife)
13. Rise
14. The Needle and The Damage Done-(Young)
15. {instrumental section from Ed’s version of Millworker}
16. Unthought Known
17. Black (Ed lets the audience sing the “I know someday you’ll have…”  bridge section on their own)
18. Lukin
19. Porch
20. Comfortably Numb-( Gilmour Waters)
21. Imagine-(Lennon, Ono)
22. Better Man/Save It For Later-(Charley, Cox, Morton, Steele, Wakeling)
23. Last Kiss-(Cochran)
24. Untitled
25. MFC
26. Falling Slowly-(Hansard, Irglová) with Glen Hansard singing lead and playing guitar, Ed sings harmony and lead on bridge.
27. Song Of Good Hope-(Hansard) Ed sings lead, Glen plays guitar and sings harmony.
{Ed goes to the barricade and interacts with the audience while singing. For the third voice he goes back to the second barricade and stands on it.}
28. Society-(Hannan) w/ Glen Hansard
29. Smile-w/ Glen Hansard
30. Rockin’ In The Free World-(Young)
31. Hard Sun-(Peterson) with Glen Hansard, Graham Hopkins, Joe Doyle, Ruth O’Mahony-Brady

Análise: W.M.A

IMG_0016

Um álbum chamado Versus não poderia deixar de conter uma música com letra política nele. E nessa pegada a experimental, W.M.A cumpre seu papel de forma crua. Mesmo que incrivelmente o Pearl Jam tenha negligenciado maior atenção à W.M.A, a escolha do acabamento dessa música a deixou incrivelmente independente dentro de um disco tão amarrado ao que a banda vivia no auge do sucesso.

A bateria tribal, as vozes de Eddie ecoando, me fazem pensar que W.M.A é além de uma música, um ritual. Uma exclamação poderosa (a quem entender) sobre coisas que o mundo tenta abolir a séculos. De forma categórica, W.M.A seduz o ouvinte a coletar palavras soltas, dúbias e totalmente interpretativas, e ao longo dos seus quase 6 minutos ela vai aumentando sua intensidade e nos apresentando um instrumento por vez, mostrando-se dissecada e como eu disse anteriormente, crua.

Analisar W.M.A é viajar para dentro da cultura norte-americana (principalmente) e mundial de uma certa forma. O racismo existe sim, infelizmente. As referências à essa pratica criminal são encontradas ao longo de toda a letra de W.M.A. Aliás, W.M.A significa White Male American (homem branco americano), e principalmente em 1993 (ano da composição) os EUA viveram um período de grandes acontecimentos e revoltas populares contra policiais que agiam de forma violenta contra suspeitos (e as vezes não suspeitos) negros. Um caso em Detroid levou Vedder a rabiscar em seu caderno aquilo que viria a se tornar W.M.A, no verão de 1993. Um trabalhador negro desempregado teria sido puxado do carro e espancado até a morte por três policiais. Este caso resultou em uma série de protestos em todo o país.

Eddie ironizou de todas as formas a letra de W.M.A a ponto de usar referências bíblicas. “Jesus me cumprimenta / parece exatamente como eu” demonstra um olhar enraizado numa crença religiosa. A figura Jesus Cristo é usada como referência para citar as semelhanças entre “Deuses” e humanos, mas acima de tudo entre brancos e negros. A ironia nessa comparação paira na parte “me cumprimenta”, onde podemos entender que mesmo Jesus (polícia) estando acima dos humanos (negros), existe respeito, ou supostamente deveria existir. Extraordinária a categoria de Vedder ao colocar esse trecho em W.M.A.

“Ele ganhou na loteria quando nasceu” é uma referência a quem nasceu branco e livre dos ataques aleatórios.

Todas as ironias terminam na parte final da música, onde somente uma frase é repetida várias e várias vezes “All my pieces set me free / human device set me free” (Todos meus pedaços me fizeram livre / As regras dos homens me fizeram livre), aí sim transformando W.M.A em uma espécie de ritual de purificação. A frase é repetida como se fosse um clamor aos deuses.

W.M.A é um cuidadoso registro dentro do poderoso disco V.S que começa a desenhar o Pearl Jam que conhecemos hoje. Pearl Jam está sempre envolvido, engajado, desde os primórdios. Não tão visceral quanto outras músicas com o mesmo contexto, W.M.A cumpre sua tarefa de alertar para a situação. Uma grande música quase que esquecida dentro de um álbum tão eloquente na carreira dessa incrível banda.

Texto: Cristiano Feix

Eddie Vedder, “Ex-Vocalista do Pearl Jam”, Faz Show Secreto em Mansão da França

Screen Shot 2017-06-22 at 13.21.34.png

Eddie Vedder fez um show secreto na cidade francesa de Cannes, ontem (21), junto com o músico e amigo Glen Hansard. A reportagem do New York Post, que chamou o Eddie de “former Pearl Jam lead singer”, ou seja, o “ex-vocalista do Pearl Jam”, disse que o evento foi patrocinado pela Live Nation (braço da Ticketmaster), que voou o Eddie e o Glen para Cannes. O show foi em uma mansão, e contou com o presença do surfista Kelly Slater, Nick Jonas (Jonas Brothers), entre outros privilegiados (de acordo com o jornal, “parceiros da marca” estavam presentes).

*Sobre o “ex-vocalista”: não acreditem nisso. A jornalista deve ter se confundido… Não acreditamos que seja má-fé e muito menos que a informação seja verdadeira. E mesmo que fosse verdadeira, nunca ficaríamos sabendo dessa forma.

Setlist: Trouble (Cat Stevens), Small Town, I Am Mine, Society (Jerry Hannan, w/ Glen Hansard), Soon Forget, Can’t Keep, Rise, Should I Stay or Should I Go? (The Clash), Falling Slowly (Glen Hansard/ Markéta Irglová, w/ Glen Hansard), Song of Good Hope (Glen Hansard, w/ Glen Hansard), Porch

 

Algumas fotos abaixo:

Screen Shot 2017-06-22 at 13.18.24
Crédito: Instagram @kevinmazur
Screen Shot 2017-06-22 at 13.18.36
Crédito: Instagram @kellyslater
Screen Shot 2017-06-22 at 13.18.48
Crédito: Instagram @kellyslater