Opinião: Teria o Pearl Jam se tornado comercial demais?

572542-021ae568-524f-11e3-af79-ebfdfa0ef1a6

Após a noticia do show do Eddie no Hawaii, um leitor do site (Diego) sugeriu que escrevêssemos algo sobre a questão do Pearl Jam ter se tornado uma banda comercial demais.

It’s a disease and they’re all green, It emanates from their being.

É uma doença e ela é verde, ela vem dos seus seres

A frase acima foi extraída da música Green Disease, presente no Riot Act, sétimo disco de estúdio do Pearl Jam. A doença verde a que o Eddie se refere é o dinheiro e as coisas materiais. Não é só na Green Disease que vemos uma crítica ao mundo em que o dinheiro é o bem mais precioso. Em Soon Forget, o Eddie canta:

Sorry is the fool who trades his soul for a corvette…

…Counts his money every morning. The only thing that keeps him horny.

‘Coitado é aquele que troca sua alma por um corvete…

Contando seu dinheiro todas as manhãs, a única coisa que o deixa excitado (ou orgulhoso)’

Algo com o que os fãs do Pearl Jam se acostumaram é a simplicidade da banda e a busca por direitos iguais, por renegar as corporações, o monopólio. Por ir na contra-mão daquilo que é comercial. Isso se manifestou na recusa aos clipes para as músicas, ao rompimento com a Ticketmaster, ao Eddie dizer que ‘o Grammy não significa nada’. Em Undone observamos as seguintes frases:

Can’t wait for election day
Witness the occupation
Corporations rule the day

‘Mal posso esperar pro dia de eleição
testemunha a ocupação
as grandes corporações comandam o dia’

Quem tem visto as recentes notícias do Pearl Jam pode se assustar quando relembra desse passado, digamos de passagem recente e rebelde, da banda. O Eddie tem participado de shows privados nos Estados Unidos e que são organizados por grandes empresas (embora algumas notícias apontem para que sejam beneficentes); o Pearl Jam, alem de aparecer mais na TV, tem feito grandes suspenses com seus lançamentos, lançados singles e clipes comerciais. Há uma grande quantidade de material sendo vendido, coisas de colecionadores, edições limitadas que poucos tem acesso. Os shows são concorridos, ingressos esgotam-se em poucas horas e, muitas vezes, o Ten Club não dá conta de conseguir os benefícios para os fãs. Por tudo isso, uma questão que surge é: o Pearl Jam se perdeu no seu próprio discurso e está agora aproveitando a onda para fazer caixa?

A resposta é: não sabemos. Isso é impossível de afirmar e só podemos olhar as evidências e tirar conclusões que sejam especulativas. Mas diante disso, darei uma opinião.

Não acho que eles estejam pensando em suas famílias ao fazer esses shows que arrecadam grandes montantes ou participando de questões comerciais. Eles são ricos, venderam milhões e não levam uma vida adoidada e excêntrica em que gastam mais do que ganham. O que acontece é que o Pearl Jam simplesmente se atualizou. E essa atualização permite levar seu recado na forma de música para uma grande maioria de pessoas. A internet passou a ser o grande meio de comunicação e compartilhamento de informações e arquivos. O Pearl Jam, como tantas bandas, aderiu a isso. O que facilita muito para os fãs. Se eles acham que sua música tem poder de influenciar e formar opiniões, quanto mais pessoas tiverem acesso a ela melhor. Mas como as pessoas utilizam esse recado não cabe a eles. Muito menos a nós. Se Sirens vai tocar na festa do colégio no final do ano, ou se Future Days irá embalar muitos corações românticos, isso é parte da música, do que ela passa para todos, dos sentimentos. Ninguém é dono da música do Pearl Jam para dizer que alguém não deve cantá-la por que ‘não é um fã-verdadeiro, não é um true ’. Isso acontece com fãs neuróticos que exigem que a banda faça aquilo que é desejo dele. Já comentei em um outro post na análise do Lightning Bolt que a música é cultura, e como toda cultura as pessoas não devem ter restrição de acesso, pois isso é preconceito. No fundo, esse alcance da música é bom, e acredito que o dinheiro ganho é consequência da qualidade da música produzida. O que dá dinheiro hoje em dia não são os discos, mas sim os shows. E é aí que eles ganham o que precisam. Desta forma, mantém um ‘equilíbrio’.

No fundo, eu acredito que o Pearl Jam simplesmente percebeu que nadar contra a corrente era um esforço em vão, um gasto de energia que não faria mais sentido. Além disso, os 50 anos devem acomodar, são outras preocupações. Quem na adolescência não foi um rebelde e aos 30 já estava diferente? É o mesmo caso, mas com quem é uma figura e um ícone esta mudança parece soar muito mais estranha.

Além disso, é bom lembrar que o Pearl Jam tomou dimensões incríveis e que talvez nenhum deles imaginasse. E em grande parte foi antes de todo o LB e a questão comercial. Arrisco dizer que em 2011 o Pearl Jam já era a maior banda na atualidade, por uma série de fatores. E continua sendo, até o momento em que terá seu brilho acobertado por outra banda.

O Pearl Jam continua mandando seu recado. O LB tá cheio com Getaway, MYM, Infallible. O abacate foi um dos discos mais profundos em questões existências e políticas. E o Backspacer havia demonstrado que na vida não precisamos levar tudo tão a sério, que é possível desencanar e apenas brincar, seguir os rumos que os ventos sopram. E nós como fãs e apreciadores de música podemos simplesmente continuar no navio até onde o vento nos soprar ou pular no primeiro bote salva-vidas  que vermos. O Ed ao se referir a um novo disco (Backspacer se não me falha a memória) uma vez usou uma metáfora mais ou menos assim: ‘Somos um carro velho com um motor novo’. Eu diria que o Pearl Jam é uma Kombi onde sempre cabe mais um (fã), e os novos discos e atitudes é o novo motor que permitem que esse ‘mais um’ seja guiado junto.

Luiz Henrique Varzinczak

Anúncios

19 comentários em “Opinião: Teria o Pearl Jam se tornado comercial demais?”

  1. Disse tudo! A banda tem que se atualizar mesmo, caso não, será passada para trás. Eu sei que se o Eddie ou o Pearl Jam tivessem a opção de distribuir seu material musical de forma gratuita, eles com certeza o fariam, mas essa é a forma de sustento deles e eu como fã vou apoiá-los (sempre que estiver ao meu alcance) para que eles percebam que não estão sozinhos nessa e tem muita gente por aí que quer que eles continuem fazendo sua música e influenciando cada vez mais gerações. A banda mudou, como tudo na vida, mas mudou do jeito e no tempo certo. Hoje em dia vemos um Pearl Jam mais maduro e bem diferente do início da banda, e é exatamente isso que me faz amar essa banda. Eles não ficam na zona de conforto e usam a mesma fórmula sempre e sempre até que ela se desgaste, eles evoluem, mudam e se reinventam sempre a cada disco e isso é simplesmente magnífico! Mas indo ao assunto do artigo: eu gostaria de que o show do Eddie fosse mais barato? Com certeza, já que minha condição financeira infelizmente não me permite ir nele, mas não vou chorar por isso, só vou desejar que ele faça um show maravilhoso e que todos os fãs que estejam lá aproveitem o que eu não vou poder. Agora é só esperar pra o Pearl Jam vir ao Brasil novamente e eu finalmente poder assistir ao meu primeiro show da banda. É isso aí! E parabéns à equipe do Pearl Jam To Fly, o site e as matérias estão ótimos. Sou um visitante assíduo do site, mas esse é o primeiro post que comento hehehe Valeu e abraços!

  2. Eu acho que além da banda se atualizar (utilizar mais a internet como meio de comunicação), existe entre eles um sentimento de ‘dever cumprido’ e ‘relaxamento’ (no bom sentido)… foram vinte anos remando ‘contra a maré’… eles não precisam mais provar nada pra ninguém!

  3. O Pearl Jam assumiu a postura de grande empresa que é há tempos. Nada tem a ver com ser comercial, vendido pra mídia ou outras infantilidades do tipo. Esses 5 caras são geradores de empregos para outros muitos pais de família. Isso é da vida.
    Que eles continuem fazendo música boa e se divertindo, não vejo outra motivação para milionários cinquentões que são.

  4. SENSACIONAL o texto. E digo mais: o site acaba de provar que não precisa de noticias da banda pra ser atrativo. Essas matérias pontuais envolvendo a banda e terceiros (como as influências do PJ) são o grande peixe do site. Parabéns!

  5. Muito lúcido e esclarecedor. Concordo que isso se deve ao amadurecimento da banda como um todo. Nós, os fãs desde o início, também estamos chegando ao 50 e ao olharmos para trás como indivíduos, vamos nos identificar, pois a vida é assim. Comercial ou não, a banda não perdeu a qualidade e sim mudaram o discurso… Para mim, a melhor banda EVER!

  6. Como tudo na vida passa, como tudo na vida evolui , é claro que Pearl Jam teria que seguir o presente, além da internet ser um melhor meio de comunicação com os fãs , ajuda na divulgação . Todos precisam disso hoje em dia, apesar de que eles não iam poder lutar todo ano com a Ticketmaster por causa de preço de ingressos , porque isso nunca vai acabar , não é só com Pearl Jam , acontece com outras bandas também . Então eu só acho, que enquanto tiver letras fortes com sinceridade, estarei com Pearl Jam , onde forem , apoiarei o que fizerem.. E eles nunca deixaram de ser essa banda maravilhosa que eu escuto desde que nasci !! Pearl Jam nunca acabou, está apenas começando . Ao futuro , sempre. Pearl Jam é, e sempre foi a melhor banda. ♥

  7. fã de pearl jam é tudo idiota. bem, a banda é uma empresa , tem por sua obrigação ser comercial ganhar grana, pra pagar o leite do filho do roadie que acompanha a banda, o remédio da mãe idosa do segurança da tour do rapaz que se fode pra montar o cenario dos shows, de um dos 10 ou mais caminhoneiros que viajam com a banda levando toda estrutura. ha familias que dependem dessa banda. como ser anti comercial? anti venda?
    em 20 anos ninguém sacou que o problema da banda não era se vendia muito ou não mas o estrelato e os holofotes? bem 20 anos se passaram os garotos de 25 anos agora tem 50 e fazem parte do hall de bandas consagradas que num devem provar mais nada a ninguém em nenhum aspecto. musicalmente a banda encontrou sua zona de conforto em produzir albuns, quando querem viajar individualmente, lançam seus projetos, ali vc ve o primor da criatividade de cada um. De resto, é uma banda comercial e acomodada, mas o que ha de errado meus deus?
    como disse tiozões de 50 anos que ja não tem mais nada a provar, ninguém os acusa de estar se aproveitando so sucesso de um arcade fire da vida ou um tame impala. e ão são mais garotos tmb. os unicos garotos que restam e meia duzia de “fã” ignorante chorão viuvinha do ten e do vs os dois albuns mais comerciais da banda, e fala que o album preferido é o no code só pq a capa é bonitinha.

  8. Bela opinião Luiz.

    A banda apenas ta entrando de cabeça no lance da net, isso e normal nos dias de hoje.

    Sábado agora fui ao show do Metallica, eles que processaram o Napster por lance de download gratuito, hoje fazem shows com setlist escolhido pelos fâs através da net, achei uma ideia muito louca.

    Isso que rola com o Pearl Jam é apenas uma evolução natural e boa, dinheiro é consequência, com o talento dos caras nada mais justo do que ganhar bem.

  9. Bom ponto de vista! E fica bem evidente a necessidade de uma atualização nos dias de hoje, pois nós mesmos, muitas vezes, também passamos por isso. Mas entre toda essa mudança em que a própria banda precisou fazer naturalmente, um momento que me chamou a atenção que vem mostrar que apesar das mudanças o caráter e os ideias continuam, foi a recusa da banda em transmitir por canal a cabo o show aovivo no Loolla Brasil do ano passado. Pois mesmo com a corporação tentando jogar toda a culpa na banda, ele não cederam, mantendo o que sempre pregaram em relação a transmissões e respeito a quem vai a um show.
    Valeu pessoal, grande abraço!

  10. Com certeza se tornaram mais comerciais. principalmente a partir do lançamento do Backspacer, acho que eles se cansaram um pouco de serem tão “chatos”, perceberam que eram praticamente sozinhos nas ideologias deles, e isso de certa forma ao mesmo tempo que fazia com que eles ganhassem fans fieis, fazia com que eles se afastassem de grande parte desses fans que os admiravam, as ideologias deles fizeram com que eles demorassem muito tempo a vir tocar na América do Sul por exemplo, acho que essa mudança de atitude tem a ver com isso na minha opinião, durante mais de uma década eles passaram a mensagem deles de forma mais incisiva, e agora eles querem aproveitar o sucesso que conquistaram e querem também retribuir aos fans a fidelidade de todos esse anos, pois mesmo não sendo comerciais conquistaram milhares de fans no mundo todo, e pode ter a ver também com o fato de a banda talvez não ter muitos anos pela frente, vai saber, Eddie em carreira solo, a banda tentando arrecadar mais dinheiro de variadas formas, talvez o fim da banda esteja próximo.

  11. Parabéns pelo texto, Luiz!
    Alguém lembra a conclusão do caso do Pearl Jam contra a Ticketmaster? Eles perderam o processo e resolveram fazer a turnê por conta própria. O problema disso foi que os fãs que tomaram na conta, por conta da dificuldade em arrumar ingressos e mesmo na organização dos shows. O Pearl Jam percebeu isso e voltou atrás, para conforto dos próprios fãs.

    Infelizmente não é um problema do Pearl Jam ou mesmo da música e sim do mundo capitalista. Qualquer forma de arte sofre com isso e o PJ passou a reclamar de todo o contexto (só ver as criticas a sociedade presentes até mesmo em LB). O que eles podem fazer é tentar incentivar cada um de nós a procurar melhoras pro mundo.

    E ao mesmo tempo, eles envelheceram. Não são adolescentes e na minha opinião seria uma merda ver hoje o Vedder agindo com aquele espirito adolescente revoltado do Ten. O cara está feliz com a família e isso despertou nele novos sentimentos que se traduzem na música e indiretamente na forma de passá-la pros ouvintes. Não é questão de ser ou não comercial, mas sim de se preocuparem menos com isso.

    Dá pra perceber tb que eles não participam muito do marketing. Eles devem deixar isso por conta do Ten Club. Gravaram o LB, fizeram os videos com entrevistas e o clipes e deixaram a divulgação pra terceiros.

  12. Luiz, a título de informação: foi no lançamento do Abacate que o Eddie disse: ‘Somos um carro velho com um motor novo’.
    E, cara, parabéns pelo post! Esse nível de texto, dentre outras coisas, fazem deste site o melhor do Pearl Jam hoje no Brasil (talvez no mundo).
    “Keep on rocking”!

  13. Na minha opinião, essa mudança de atitude se deu por alguns fatores pós 2003:

    – A frustração do Vote For Change: em 2004 a turnê anti-Bush não deu certo e o presidente foi reeleito. O sentimento de “fuck off, agora tanto faz, vamos só ganhar dinheiro em cima de tudo que a gente puder e o nosso passado é passado”.
    – Turnê Sul-Americana em 2005: Eles se sentiram praticamente deuses ao ver o público daqui desses lados pela primeira vez e viram que podiam se tornar uma banda que vive do nome e de seus hits antigos.
    – Com a descoberta de que eles eram grandes pelo mundo afora, eles focaram em fazer shows de arena, voltar a fazer festivais, ter uma atitude que agradasse mais o grande público e fizesse a música chegar a cada vez mais gente. A era do “anti-mídia” acabou, voltaram a fazer clipes que eles atuavam (Life Wasted, The Fixer com público de atores contratados), fecharam acordos com a Target, etc.
    – Parece que houve uma decisão de se tornar uma banda dependente/especializada em shows, aquela que se garante pelo espetáculo ao vivo. Vide a decisão de fazer músicas pensando no setlist (Ed: ” Para compor eu penso: ‘Será que vou tocar essa música toda noite?’ “, ou as turnês sem álbum novo pra divulgar, no tempo reduzido dentro de estúdio para composição e gravação de novo material, nas músicas novas visando serem “sing alongs” do público nos shows, etc.
    – O envelhecimento natural de todos eles, a formação da família, etc.

    Eu também me importo mais com a música, como disseram. Acima de tudo eles são uma banda e o rock é o principal produto pra mim. Mas a partir do momento em que eles escolhem deixar de lado em suas composições algo mais inspirado, inovador, experimental ou “relevante”, para colocar no lugar “aquela parte em que todo mundo bate palma e grita Yeah”, aí é algo que tem que ser analisado. Não é questão de ser comercial ou ganhar mais dinheiro, mas as consequências de tais. A Influência da mudança de atitude na sonoridade da banda. Como anda funcionando atualmente?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s