Análise: Por que Down é tão Up?

Essa é talvez uma das análises mais simples que já postamos. Simples por que a música de que tratamos aqui é simples. E é em nessa simplicidade que encontra sua beleza. Quando algumas pessoas me perguntam sobre uma música do Pearl Jam que seja animada, com alto astral e positiva, é impossível que Down não seja a primeira a vir em minha cabeça. Down é totalmente o oposto do disco em que era pra ter entrado: o Riot Act, um disco desacreditado, onde o Ed pondera perdas, tristezas e critica duramente a guerra e o capitalismo desenfreado. O Eddie mesmo disse que Down era sua música favorita para entrar no disco e que não entrou por que ‘uma coisa não é como as outras’. Aparentemente, para o Pearl Jam muitas coisas não são como as outras.  Embora não lançada em um disco de estúdio, a predileção por Down fica clara por ela ter sido lançada no single de I Am Mine, no Lost Dogs, estar presente nos bônus Live at the Garden e também ser tocada com uma frequência relativamente alta nos shows, sendo tocada muito mais que várias músicas excelentes do Riot Act como You Are e Green Disease. O motivo? Down é o Eddie, mais uma vez, conversando com ele mesmo. Mas dessa vez não é uma conversa introspectiva e pensando na vida e em sua existência como observamos em In My Tree, Present Tense, I Am Mine e Love Boat Captain. É a conversa que, querendo ou não, alguma vez na vida todo mundo teve consigo mesmo após passar por algum problema e frustração. O momento em que só reclamar e ser um rabugento não funciona. No caso do Eddie, isso transmite um sentimento claro e o oposto de toda obscuridade pela qual ele passou entre 2000 e 2002, com seu divórcio e o acidente em Roskilde. Down é um dos momentos mais lúcidos e introspectivos (apesar de não parecer pela ‘alegria’ na música) dele nesse período, é o momento em que se acorda e pensa: “Cresça, a vida está se movendo”. “Você pode mudar os nomes”, neste caso as pessoas que convivem com você (de maneira forçada ou por que quer), “mas o lugar é ainda o mesmo”, neste caso a sua vida. E ainda assim, você não pode ser neutro e meio termo, é preciso tomar decisões neste trem em movimento. É preciso escolher um lado (ou vários deles ao longo da jornada), em diferentes situações… Até que, um dia todas as coisas ruins da vida, os sintomas, desaparecem.

E por fim, como o Eddie diz, você deve ter em mente que não pode deixar a luz escapar de você. Nem mesmo a escuridão te engolir. Ahhh, é por isso que Down é tão up…

Anúncios

6 thoughts on “Análise: Por que Down é tão Up?”

  1. Brilhante!!

    Acho que ela devia sim, ter entrado no Riot Act, um disco pesado e cheio de sentimentos não tão agradáveis.

    Down seria a música perfeita para encerrar o álbum, seria modo de dizer “Hey, passamos por tudo isso..mas bem, é preciso seguir”

    Enfim…Down é deliciosa!!

  2. Meu primeiro show do Pearl Jam foi o de Curitiba em 2005.

    Eles tocaram down la. Chorei. Ah, mas eu chorei em quase todas as musicas …….

      1. Meu Deus se arrependimento matasse…sou de Ctba e não fui em nenhum dos shows…BUUUUURRAAAAA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s