PJ2FLY Entrevista: Lívia, a Brasileira que Foi em 100 Shows do Pearl Jam

Toronto_10 de Maio de 2016

Olá devotos seguidores da Pearl Jam to Fly! Continuamos com o nosso quadro de entrevistas!

No “Pearl Jam to Fly Entrevista” de hoje, recebemos a lenda Livia Ducommun, uma carioca que já conseguiu a façanha de ir a 100 shows do Pearl Jam e a 29 shows solo do Eddie Vedder!

Ano passado ela deu uma entrevista ao G1 comentando todo o inicio dessa “Longa Estrada” viajando atrás do Pearl Jam, e sobre as músicas (poucas) que ainda faltam para ouvir ao vivo. Agora, a entrevista é de fã para fã!

_______________________________

  • PJ2FLY: Livia, com certeza você tem muitas histórias (centenas delas) a contar sobre seus shows, e só publicando um livro para contar todas (fica a dica), mas conte para nós um pouco do que foi o seu primeiro show lá em Seattle em 2002.

Primeiramente quero agradecer ao pessoal da PJ2FLY por ter entrado em contato para saber um pouco mais dessa minha jornada. Tenho muita história bacana, e vou considerar escrever um livro um dia… (risos)!

Conheci o Pearl Jam em 1994 através do acústico da MTV. Foi amor à primeira vista! A partir desse dia, saí para comprar os CDs que eles já tinham lançado e os ouvia sem parar.

Meu sonho era ir em um show deles. Não conseguia parar de imaginar como seria a sensação de ouvir aquilo tudo ao vivo. Em 2001, eu conheci um americano muito fã da banda, e ficamos muito próximos. Ele já tinha ido em vários shows, e quando falei que eu ainda não tinha tido essa chance, ele fez de tudo para que eu realizasse esse meu sonho.

Meu primeiro show foi no dia 05 de Dezembro de 2002 em um clube de Seattle chamado The Showbox com capacidade de 1.100 pessoas. Quando eu imaginaria que meu primeiro show seria em um cenário tão perfeito quanto esse?
O 10 Club sorteou 500 fãs que teriam o direito de comprar 2 ingressos cada! Eu fui sorteada para o primeiro show e o americano foi sorteado para o segundo show na noite seguinte (que é o show lançado em DVD). Muita sorte a nossa!

Showbox_Dezembro_2002
Lívia no Showbow, em 2002

Chegamos no Showbox um pouco antes dos portões abrirem e ficamos bem próximos do palco. Eu não conseguia acreditar que estava prestes a ver o Pearl Jam ao vivo em Seattle, em um lugar pequeno como aquele e por onde tantas bandas famosas já tinham passado. Era bom demais para ser verdade! Mas era. E eu curti cada segundo! Chorei, gritei, cantei, pulei, me arrepiei… Tudo que um show do Pearl Jam faz aflorar na gente. A setlist teve 20 músicas e eles abriram com “Can’t Keep”. Também no meu primeiro show consegui ouvir a música que eu mais amo que é “Black”.  Foi uma noite perfeita em todos os sentidos! Saí de lá completamente realizada.

Showbox_05 de Dezembro de 2002
Pearl Jam no Showbox, em 2002
  • PJ2FLY: Em todos esses anos, qual foi o show que mais te surpreendeu em termos de setlist?

É impossível escolher um show! Em muitos deles eu saio de queixo caído com a setlist que foi tocada. Quando eu acho que não dá para melhorar, lá vem eles e fazem um show épico.

Minha turnê favorita ainda é minha primeira em 2003 quando fui em 12 shows. Era tudo novidade. Antes da turnê começar, eu fiz uma lista com as 10 músicas que eu mais queria ouvir e risquei muitas delas! E dessa turnê, eu escolho um show que foi muito especial para mim, não só pela setlist que eu amei, mas pelo local (foi em um anfiteatro aberto em uma cidade há 40 minutos de Boston, chamada Mansfield) e também pela energia dos fãs e da banda. Foi o show do dia 3 de Julho de 2003 (http://www.pearljam.com/setlists/1018/2003/20367/tweeter_center)

Riot Act Tour_Saint Paul_16 de Junho de 2003

Para citar mais alguns…

Fui nesse show beneficente dia 01 de Julho de 2008 no Beacon Theater em NY. Fizeram uma setlist com alguns covers lindos e músicas que não tocam frequentemente. Foi bom demais! (http://www.pearljam.com/setlists/1023/2008/22227/beacon_theater)

Os dois dias do PJ20 em Alpine Valley foram sensacionais! Era um clima de festa e alegria que nunca vi igual em nenhum outro show!

Eu, particularmente, estou adorando essa novidade deles tocarem os álbuns na íntegra em alguns shows. O meu show do coração foi o de Milwaukee em 20 de Outubro de 2014 quando eles tocaram o Yield, meu álbum favorito. Me senti muito abençoada por estar lá!

E dessa última turnê, escolho o primeiro show de Toronto (10 de Maio de 2016), quando tocaram o Binaural. Difícil descrever a energia daquela noite. Tudo perfeito. E eu ainda ganhei o tambourine (depois de 99 shows…haha).

Os próximos dois shows serão em Boston, no Fenway Park. Vê-los no estádio do Boston Red Sox estava na minha wishlist há anos! Sei que serão shows incríveis, porque se tem um lugar onde os fãs se comparam aos fãs da América do Sul, esse lugar é Boston.

O que falta na minha listinha: Pearl Jam em Red Rocks (http://redrocksonline.com/), Pearl Jam no The Gorge (http://www.georgeamphitheatre.com/), um show acústico do Pearl Jam (como foi o Benaroya Hall).

Setlists
Os setlist guardados pela Lívia
  • PJ2FLY: Alguma vez dentro desses 100 shows a banda te decepcionou em algum sentido?

Já aconteceu, mas essa questão tem muito a ver também com o quanto se espera de determinados shows.

Quando eles tocaram no Lollapalooza em 2013, em São Paulo, eu não tinha as expectativas altas, porque show de festival é mais básico mesmo. E realmente foi o que aconteceu. Mas além disso, a voz do Eddie não estava boa e o som pior ainda. Não foi legal.

Teve um show agora na última turnê que foi bem abaixo do esperado e decepcionou, sim. Foi o segundo show em NY no Madison Square Garden. A expectativa de todos os fãs era tão grande por ser em NY, por ser no Madison que eles não tocavam há 6 anos e pelo histórico dos shows incríveis que eles sempre fazem lá. Os outros 6 shows que vi do Pearl Jam lá foram impecáveis, mas esse foi básico, sem grandes novidades e pouca energia da banda. Mas o que são 2 shows em 100, né? Não posso reclamar de nada… Eles só trazem felicidade para a minha vida!

  • PJ2FLY: Eu sou um dos fãs que acredita em alguma mini turnê acústica pelos Estados Unidos no futuro. Você também crê nessa possibilidade?

Eu também a acredito nisso. Primeiro, porque eles gostam de inovar e surpreender seus fãs. Segundo, porque apesar da energia, já estão mais velhos (assim como os fãs) e seria uma turnê em um esquema mais “relax”. Eu acho que seria um sucesso e os ingressos muito disputados. Que fã não iria amar ir a um show do estilo do Benaroya Hall?

  • PJ2FLY: Alguma vez você ficou cara a cara e conversou com algum membro da banda?

Fui com 2 amigos em alguns shows na Europa em 2012. Fomos no show de Praga e os dois próximos seriam em Berlim. Quando chegamos na estação de trem em Praga, demos de cara com o Mike e família! Foi surreal… Mike estava no mesmo trem que a gente! Fomos até ele, conversamos um pouco e tiramos fotos. Um dos amigos tinha um cartaz na mala dizendo “I Believe in Mike” e pegou para ele ver.  Mike ficou surpreso e adorou!

Abaixo, a foto do momento:

Mike_Estação de trem de Praga

A outra vez, eu estava com 3 amigas no Texas para alguns shows solo do Eddie. Esperamos ele sair depois do show de Austin e ele veio e falou um pouco com cada um dos fãs que estava esperando por ele. Ele foi super atencioso com cada um de nós. Chegando na minha vez, elogiei o show que tínhamos acabado de assistir e falei que eu e as meninas éramos do Brasil e estávamos lá por isso. Ele falou: “Brasil! I love Brasil!”. Uma das amigas pediu um abraço e todas acabamos ganhando! Foi muito lindo o momento!

Depois dos shows solo de São Paulo e Rio, meus amigos e eu também conseguimos falar com ele, ganhamos palhetas e pedimos músicas para os próximos shows!

Muito legal essa interação com os membros da banda. A gente se sente amigo dos caras (apesar de dar um baita nervoso quando a gente se vê nessas situações). Mas o que eu adoro mesmo é a interação durante os shows… Isso para mim é imbatível!

  • PJ2FLY: Dos shows do Brasil, de 2005 até 2015, qual foi o mais marcante para você?

O mais marcante para mim foi o show do Rio em 2011. Achei aquele show fantástico! Os fãs participaram lindamente do show do início ao fim e ficou evidente que isso emocionou muito a banda. Voto nele por ser na minha cidade, pela setlist, pela energia dos fãs e emoção da banda!

E no ano passado o meu favorito foi, sem dúvidas, o de Brasília. Que setlist foi aquela? Bom demais!

  • PJ2FLY: Sobre os álbuns de estúdio da banda, você acredita que o Pearl Jam ainda pode surpreender os fãs com algo próximo de um Binaural ou um outro No Code por exemplo?

Poder eles podem, porque talento ali tem de sobra. E se já lançaram tantos álbuns incríveis no passado, poderiam repetir a fórmula, mas não vejo isso acontecendo. Talvez por preferirem estar sempre em turnê e não passarem muito tempo em estúdio. Mas acredito neles, sim.

O último álbum de estúdio que eu amei de verdade foi o Pearl Jam/Avocado. Os dois últimos são bons. Torcer para o próximo ser muito especial!

  • PJ2FLY: Finalizando essa entrevista, gostaria que você fizesse um comparativo entre os fãs de Pearl Jam americanos, europeus e sul-americanos. Qual o comportamento que cada um tem nas filas, no show, o respeito com o colega do lado etc.

 No geral (claro que há exceções), vejo da seguinte forma:

Os fãs americanos são os mais tranquilos. São amigáveis, puxam papo nas filas e se surpreendem bastante quando sabem que sou do Brasil e estou lá especialmente para os shows. Durante os shows, a maioria não é muito animada e não canta alto, mas são respeitosos e não te empurram para conseguir um lugar melhor.

Dentro dos Estados Unidos há uma diferença grande em relação a energia dos fãs. Os fãs americanos mais empolgados estão na Costa Leste (Philadelphia, NY, Boston e subindo para Toronto no Canadá). Essa região dos Estados Unidos/Canadá é a que concentra a maior quantidade de fãs da banda.

Já os fãs da Costa Oeste (Califórnia e Seattle), em geral, são mais contidos.

Só fui em uma turnê na Europa (6 shows em 2012), mas deu para ter uma ideia de que os fãs são mais passionais que os americanos. Não puxam muito papo nas filas e durante o show (dependendo da cidade), podem ser bem grosseiros ou tranquilos.

Vote for Change Tour_Boston_28 de Setembro de 2004

Em Berlim, talvez pelo fato de beberem demais, eles empurravam sem dó nem piedade. Assistir aos shows na pista foi difícil.  Já em Oslo, Estocolmo e Copenhagen, os fãs eram bem tranquilos. Super educados na fila e durante o show. Se encostavam em mim, pediam desculpas. Eu podia chegar praticamente na hora do show que conseguiria um lugar bom na pista.

Os fãs Sul-Americanos são 100% passionais, né? Por isso que as bandas amam tocar aqui. Não tem fã igual ao da américa do sul. É tudo em grande escala… Muita emoção, músicas cantadas muito alto, muita entrega, muita energia.

Fila de shows aqui é um capítulo à parte (risos)! Você pode fazer um novo amigo para a vida toda, por exemplo. Então, por mais horas que a gente tenha que esperar para ver a banda de perto, a espera nunca é tão sacrificante.

Durante os shows, o clima já é mais tenso. Muito empurra-empurra, pouca gentileza, tipo cada um por si!  Por isso, o ideal é estar em grupo com os amigos, assim um protege o outro. Os Brasileiros conseguem se controlar mais, mas Chilenos e Argentinos não estão nem aí. Fui ver o Pearl Jam na Argentina em 2015 de cadeira numerada, porque tinha um trauma de 2005 quando fui aos dois shows lá de pista.

Queria fechar dizendo que tive a sorte de conhecer pessoas incríveis em vários lugares do mundo através do Pearl Jam e que muitos se tornaram amigos que amo demais! Então, obrigada, Pearl Jam, por mais essa!

🙂

Anúncios

4 thoughts on “PJ2FLY Entrevista: Lívia, a Brasileira que Foi em 100 Shows do Pearl Jam”

  1. Estou com uma “injeva” boa dessa fã, Fui a todos os shows que a banda fez no Brasil em SP e RJ e também sinto que eles adoram o nosso país. Lembro da emoção genuína que vi nos olhos de Eddie, sobretudo no primero show de SP, quando ele viu um estádio lotado cantando as músicas da banda. Se não me engano foi naquela turnê que ele disse, no segundo show em SP, que nem ele e nem Matt conseguiram dormir direito na noite anterior pensando nos fãs. Essa última turnê no Brasil foi toda gravada, espero que eles lancem um DVD ou Bluray, como fizeram com a turnê italiana. Deveríamos fazer um abaixo assinado pedindo isso, quem sabe eles não atendem….
    Tenho todos os shows, DVDs e discos de estúdio oficiais, além de mais de uma centena de discos ao vivo, (sobretudo as turnês de 2000, 2003 e 2008). Minha mulher não entende, mas cada show é diferente do outro e talvez por isso eles estejam há tanto tempo na estrada.
    Tenho alguns shows feitos por fãs com várias câmeras, mas nada que se compare a um original lançado pela banda. Esses registros audiovisuais seriam uma forma de manter viva na lembrança dos fãs os shows incríveis que eles fazem.
    Vida longa ao Pearl Jam!

  2. Eu ja curti muitas fotos da Livia em seu instagram. Ele tem uma coleção belíssima de vinis da banda, dentre outras preciosidades.
    Também cheguei a cumprimenta-la nos shows de SP e BSB do ano passado quando a vi na pista me identificando pra ela.
    Mas não sabia dos 100 shows. Tinha noção que eram muitos, mas nao tantos assim.

    Parabéns pra ela !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s