Vídeo: ‘Pearl Jam no Hall of Fame’ Legendado em Português

1485537598c270eb7dd0e8b6b2e46e7b8efb3a1362.jpg

***Editado***

*O VÍDEO FOI REMOVIDO DO YOUTUBE POR QUESTÕES DE DIREITOS AUTORAIS… POR ISSO, O DOWNLOAD É A ÚNICA OPÇÃO… 😦

Pessoal, abaixo colocamos o link de um download contendo o arquivo do vídeo e o da legenda e, para aqueles que já baixaram o vídeo, outro link apenas com a legenda. A maioria dos programas de vídeo atuais automaticamente sincroniza as legendas, basta os dois arquivos estarem com o mesmo nome e na mesma pasta.

LINK VÍDEO E LEGENDA:

https://drive.google.com/file/d/0B98ErDn-5ERHbDlTcGlpT3pOcVU/view?usp=sharing

APENAS LEGENDA:

https://drive.google.com/file/d/0B98ErDn-5ERHTmxHLW5GTEJ1YjA/view?usp=sharing


Fala pessoal! Como prometido, aqui vai o vídeo completo com legendas em português da apresentação do PJ no Hall da Fama do Rock! O vídeo não está liberado em países como EUA e Canadá, mas se os fãs brasileiros conseguirem ver, já está muito bom! Caso o vídeo seja bloqueado, vamos disponibilizar ele para download.

Deu bastante trabalho a tradução e a sincronização. Tentamos deixar o texto o mais fiel possível não só com o que eles falaram, mas com o clima de cada discurso e o tom adotado (traduzir é uma arte, pessoal, sério mesmo).

Infelizmente a HBO editou bastante – bastante mesmo – os discursos; por isso, colocamos abaixo, depois do link do vídeo, a transcrição completa de todas as falas do Hall of Fame!

Vejam o vídeo e depois leiam a transcrição! Dá pra aproveitar tudo dessa noite histórica!

Bom proveito!

***VÍDEO REMOVIDO POR QUESTÕES DIREITOS AUTORAIS… 😦


 

TRANSCRIÇÃO:

-DAVID LETTERMAN-

Obrigado. É muito gentil de vocês. Eu não consigo nem expressar a honra e o privilégio de casa. Eu sei que o Neil Young deveria estar aqui. As pessoas me olham achando que eu tenho algo a ver com isso. Por quê o Neil Young não está aqui? A verdade é que o coitado não pode ficar até tarde. É isso. Ou isso ou ele engoliu uma gaita. Não tenho certeza.

Eu tão empolgado e vocês sabem disso, mas por 33 anos, todas as noites, eu tive a oportunidade de apreciar a benção da música ao vivo. Por 33 anos. Das pessoas que estão no Hall da Fama do Rock, daquelas que estarão no Hall da Fama do Rock e dos dois anos que foram perdidos. A CBS me pegou usando uma copiadora e me demitiu.

Quando eu vim aqui para o ensaio e ouvi música ao vivo novamente, lembrei-me: meu deus, que presente música ao vivo é. Eu sei que todas essas pessoas e a minha banda e Paul Shaffer foram incríveis. Nunca assuma a oportunidade de ouvir música ao vivo como garantida, e essa é a mensagem que trago para vocês hoje. É um o prazer estar de volta para isso. Aliás, eu conheço Neil Young há muito, muitos anos. Nos conhecemos há muito tempo na farmersonly.com. Em 1988 foi quando conheci a maioria das pessoas envolvidas com o Pearl Jam, e que estavam em uma banda chamada Mother Love Bone.

Então, em 1991, as coisas no mundo da música mudaram com um álbum chamado Ten. Foi como algo monstruoso saindo do Noroeste do Pacífico. Tinha uma raiva internalizada e atraiu umas vinte e poucas pessoas que se sentiram abandonadas e desempregadas. Eu tinha quase 50 anos e até mesmo eu estava puto, e também era mais fácil dançar, mas isso é outra história.

Aí aconteceu que esses caras do Pearl Jam eram mais que uma banda. Eles eram verdadeiros organismos culturais. Eles reconheciam a injustiça e estavam dispostos a combatê-la. Seja direitos humanos ou meio ambiente. Seja pobreza. Eles não se deixavam desgastar. Eles reagiam e lutavam.

Em 1994, esses jovens garotos arriscaram suas carreiras ao ir atrás daqueles gananciosos, sanguessugas e aproveitadores da Ticketmaster. Eu estou adorando falar isso. E por terem feito isso, por terem enfrentado as corporações, eu estou feliz por dizer, senhoras e senhores, hoje todo o ingresso de show nos Estados Unidos é gratuito.

Ao conhecer melhor esses cavalheiros, eles são generosos de espírito. Na verdade, escutem isso: hoje o balcão inteiro do teatro está cheio dos ex-bateristas do Pearl Jam. Levantem-se.

Eu quero dizer algumas coisas sobre as músicas desse grupo. O legal de conhecer eles por um longo tempo, é que eu acabo conhecendo eles tanto como amigos como ícones culturais. E eu só gostaria de dizer que espero um dia voltar aqui para a indução do meu amigo Warren Zevon.

Bom, agora vou começar a ler uma lista de músicas e você vão começar a aplaudir e só sairemos daqui no domingo, então: Jeremy, Corduroy. Agora, uma que eu gosto, a música Yellow Ledbetter. Ela não entrou no Ten porque eles tinham muito material bom, eles decidiram “nós não vamos colocar essa música aqui com todo esse material bom”. Assim, é lançada depois, como um B-side. Vinte cinco anos depois é um hino. Um ícone musical. Para muitas pessoas essa canção seria uma carreira. Sirens, Given to Fly, Kung Fu Fighting.

Esses caras… Eu costumava ter um programa de televisão, e eles estiveram no programa 10 vezes. Todas as vezes que estavam lá, eles derrubavam o telhado do lugar, e eu não estou falando figurativamente. Eles realmente derrubaram o telhado do lugar. Por 2 anos eu fiz o programa sem um telhado em cima da porcaria do teatro.

Vocês conhecem a música Black. Houve um período da minha vida em que eu não conseguia para de fazer “Doo-doo-doo doo-doo-doo-doo. Doo-doo-do”. Ótimo. Agora nós devemos um monte de dinheiro para eles. Juro por deus que só conseguia ouvir isso na minha cabeça. Eu fico pensando quanto vezes esse trecho repete na música. Eu tive que ir ao meu hipnotista para fazer isso parar. “Doo-doo-doo doo-doo-doo-doo. Doo-doo-do”. Uma noite, no meu programa, eu estava fazendo isso, e a porta do estúdio abre abruptamente e dela adentra Eddie Vedder. Ele canta a música com o Paul e a banda. Em seguida, ele se aproxima de mim, olha nos meus olhos e diz: “Pare de fazer isso”. E eu estava curado, senhoras e senhores.

Quero contar uma história que gosto muito. É sobre a amizade com um cara que fez algo para mim e que irei lembrar por toda a minha vida. Faltavam 3 programas para eu parar, e Eddie Vedder estava no dia e cantou Better Man. Eu gosto de pensar que é porque rima com Letterman. Havia uma emoção no ar porque à medida que o programa avançava, sabíamos que estávamos dizendo adeus. Como eu disse antes, a experiência de que mais sinto falta é a de ouvir música ao vivo todas as noites. Mas isso estava no ar. Era palpável.

No final do show, Eddie Vedder veio até mim e me entregou isso, eu não sei se vocês conseguem ver mas esse é o nome do meu filho. Ele me entregou essa carta e disse: “Essa carta é para seu filho, eu quero dar ela ao Harry”. Eu acho que temos uma foto do meu filho, Harry. Olhe isso, temos ele em nas melhores clínicas dando uma pausa de 1 ano do ensino médio.

Então, se você estiver na área de entretenimento, há boas chances de você ter uma boa dose de cinismo, e eu seria o presidente desse clube exceto por coisas como essa. Essa carta do Eddie Vedder para o meu filho fez eu lembrar de 2015, faltando 3 programas. Eu irei ler a carta, se não tiver problema.

“Oi, Harry, meu nome é Eddie Vedder e eu sou um amigo do seu pai. Eu quero que você receba essa pequena guitarra para começar. Experimente ela, faça um pouco de barulho e eu faço um trato com você. Se você aprender pelo menos uma música nela eu te dou uma melhor e maior no seu aniversário. Talvez uma elétrica. Me avise.” E meu filho adora pescar, Eddie adiciona: “Tocar guitarra é como pescar. Pescar por músicas. Boa sorte, Harry, em todas as coisas. Sinceramente seu, Ed”.

E acontece que meu filho toca um instrumento de corda, mas é um violino – parecido o suficiente. Há vários motivos para essas pessoas estarem no Hall da Fama, mas perdoem-me dizer se, para mim, esse é o motivo mais importante.


-STONE GOSSARD-

 Talvez a razão mais importante de estarmos aqui hoje não é receber uma honra, mas honrar todos aqueles que trabalharam duro para essa banda, fazê-la funcionar, crescer e florescer. Todos nós poderíamos encher folhas de papel com os nomes dos nossos amados familiares, os velhos e queridos amigos, nossas influências, nossos ídolos, colaboradores, conselheiros, apoiadores, os nossos mediadores, os que promoveram a gente e que nos ajudaram incontáveis vezes.

 Aqueles que lutarem pela gente, nos carregaram, discordaram, deram perspectiva, nos encorajaram. Deram ombros para nos apoiarmos e chorarmos. Eles lidaram com papeladas tediosas, planejamentos intermináveis, ligações agoniantes, trabalho de computador, viagens torturantes de avião e de carro, sob as piores condições. Eles penduraram equipamentos de iluminação e remendaram incontáveis cabos, compraram milhares de tamborins, trocaram milhares de baterias e até passaram aspirador nas vassouras. Tudo para fazer com a banda seguisse em frente. Às vezes apenas centímetros para frente.

Para todas elas, nós damos o mais sincero e profundo agradecimento. Seu trabalho duro, amor e dedicação mostram que esse prêmio é para vocês tanto quanto é para nós. Vocês fazem a gente se sentir uma grande e feliz “Jamily”.

Sem considerar nenhuma ordem, nos agradecemos sinceramente: George, Karrie, Liz, Simon. Kelly Curtis – nosso manager, Josh, John, Neil, Donnie, Nicole, Kevin, Brett, Jimmy Shoaf, Jimmy V, Andy, Sarah, Dicko, Dave Rat, Pete, Sonny, Larry, Jesse, Kille, Blue, Dan, Tommy, Peter, Nelly, Glen, Gary, Carol, Goldie/Michael Goldstone, Michele Anthony, Keith Wissmar, Eric, Anna, Elliot, Brendan O’Brien, nosso velho produtor. Mark Smith, muito obrigado. Tim B, Tim P, Rob, Ryan, Adrien, Gavin, Will, Karen, Jess, Christian, Siggy, Jamie, Betsy Lee, Dana, Raven, Scully, Jeff O, The Glews, Schnapp, Jacqueline, Harvey, Lance, Rod, Don, Diana, Dan, Tom Conklin, Stranger. Brian, Doyle, Radar, Davy, Lampy Josh, Marty, Barry, Coby, Brad, e o Regan. E além disso… Todos os artistas incríveis que criaram aquele que é um dos nossos artefatos mais duradouros: todos os incríveis pôsteres de turnê.

Mas, ainda mais importante que todas essas pessoas fantásticas, queremos agradecer os nossos fãs e o nosso fã-clube, cuja crença em nós nos carregou em tempos que não acreditávamos mais, ou perdemos a esperança, ou perdemos o roteiro, ou nos perdemos. Muito obrigado pela comunidade do Pearl Jam, cuja ardente autonomia e envolvente manifestação continua sendo uma fonte deslumbramento e admiração para nós. Continuem fazendo isso, nós nos divertimos muito assistindo tudo.

E por último, quero agradecer as nossas incríveis esposas. Minha esposa, Vivien, sua linda família, nossos lindos filhos, Viv, Marlowe e Faye. Meu pai e mãe, minhas irmãs e suas famílias. Obrigado a todos por ter nos dado essa oportunidade e honra.


-DAVID KRUSEN-

Olá, gostaria de agradecer o Hall da Fama por me incluir junto com essa banda incrível. E o Pearl Jam salvou a minha vida. E para a “Jamily”. E para minha família, meus filhos, eu amo vocês. Obrigado.


-MATT CAMERON-

Olá, Olá. Obrigado a todos por estarem aqui hoje. Estamos honrados por estar aqui também. Eu só gostaria de agradecer a minha… minha musa, minha garota, a minha mulher especial, April Cameron. Nossos lindos filhos, Raymond e Josie. Quero agradecer meus pais por me apresentar o Count Basie (músico) e por deixar eu praticar bateria em casa por uma década, provavelmente. Eu agradeço muito por isso.

Meu irmão e irmã, por me levaram ao meu primeiro show: David Bowie, Station to Station, em 1977. Experiência que mudou minha vida. Quero agradecer os meus irmãos do Pearl Jam por terem me convidado para a sua incrível família, sua incrível banda, em 1998. Meus irmãos do Soundgarden por terem me convidado para a sua banda, em 1986. E já foi dito antes, mas… nós… nós agradecemos os fãs e… e o sangue que vocês dão para a nossa arte: rock and roll. Obrigado.


-MIKE MCCREADY-

Obrigado. Muito obrigado. Uhul! Isso é muito bom.  Há momentos fundamentais na vida que mudam você para sempre. Eu tive muitos desses, mas o primeiro foi em 1976. Eu era escoteiro. Um dia, 11 anos de idade, quando meus amigos Danny e Rick falaram sobre uma banda de rock chamada Kiss. Eu pedi uma guitarra para meus pais naquela noite. Quero agradecer a minha mãe, Louise McCready, pelo amor e apoio, por me ensinar sobre o Warhol e os Rolling Stones e por colorir o meu cabelo. Meu pai, Roy McCready, obrigado por me dar amor e orientação, e por me treinar a usar minha mente corpo e espírito. Obrigado à minha primeira banda, Shadow, e à família Friel, por ter deixado a gente ensaiar cinco dias da semana, por seis anos, na sua casa. Muito obrigado.

Para a minha segunda banda, Pearl Jam. Vocês são meus irmãos. Eu amo vocês. Eu amo vocês, caras. Amo suas famílias. Meu querido amigo, Duff McKagan disse uma vez: “Vocês acertaram, caras”. Mas nós somos tão bons quanto as pessoas à nossa volta. Nosso manager, Kelly Curtis, Michele Anthony, Michael Goldstone, Nicole Vandenberg, George Webb, Donnie Spada, Chris Adams, Brendan O’Brien e todos que estão nos escritórios, e nosso fã-clube, nossa equipe de turnê, e todas as pessoas que nos apoiaram para que fizéssemos o que amamos.

Quero agradecer ao Red Hot Chili Peppers por ter nos apoiado no começo e por ter nos tratado corretamente. Há muitas bandas que me inspiraram, muitas que me inspiraram, incluindo Cheap Trick, Queen, Bowie, Hendrix, The Stones, Beatles, UFO, Kraftwerk, Ramones, Brandi Carlile, Sleater-Kinney, The Kills, Social Distortion, Muddy Waters, Sex Pistols, The Clash, e minha nova banda favorita, Thunderpussy, e também Stereo Embers, para dizer algumas. Minha família e amigos, muitos que puderam estar aqui hoje e outros que não conseguiram, vocês me fazem rir e me ensinaram a viver. Eu amo todos vocês, todos nossos amigos e familiares que estão aqui hoje. E todos nossos fãs, obrigado por estarem com a gente por tanto tempo.

E finalmente, para a minha incrível esposa, Ashley, que mantém tudo unido, mantém o meu mundo unido, eu amo você, 1-4-3. E nossos filhos Kaia, Jaxon e Henry, vocês me inspiram a ser um pai melhor e eu amo vocês. Muito bem. Obrigado.


-JEFF AMENT-

Quando eu tinha 12 ou 13 anos, meu tio Pat me deu alguns singles, um deles era do The Kinks, “A Well Respected Man”. Isso coincidiu com eu ter lido “A Morte do Caixeiro Viajante” na turma da Sra. B na 7a série. Depois disso, eu fui colocado em um caminho para nunca ser um Willy Loman ou o infeliz homem de terno que Ray Davies descreveu, e isso de alguma forma culminou em uma vida tocando em bandas. Então, se eu pareço um pouco nervoso, culpem Ray e Arthur Miller, já que nunca fiquei confortável em uma sala cheia de ternos.

Em 1983, eu me mudei para Seattle à procura da minha tribo. Outros artistas, músicos, indivíduos, skatistas aplicados, crianças que falavam sobre a política do Joe Strummer, Jello Biafra e Dave Dictor, e artistas como Francis Bacon, Basquiat e Pettibon. Eu encontrei muitas dessas pessoas, e muitas ainda são minhas amigas. Eu encontrei o Stone, estando menos de um mês em Seattle, em um daqueles shows de bandas punk de Seattle, há 35 anos atrás, o que me levou à nossa banda e à nossa comunidade.

Estando aqui com a nossa banda, que se tornaram alguns dos meus melhores amigos no processo, fazendo música e arte, viajando pelo mundo, apoiando causas juntos, fazendo uma pequena diferença, encontrando grandes artistas e mentes criativas ao redor do mundo. Essa é uma vida incrivelmente foda. Obrigado.

É uma honra incrível fazer parte de um clube que inclui muitos dos nossos heróis: Neil, The Clash, The Stooges, Cheap Trick. Mas a questão é que fomos afetados e infectados por bandas que não estão aqui. Tantas bandas importantes que fizeram a gente pegar uma guitarra e compor músicas: Roxy Music, The Jam, Devo, X, Black Flag, Dead Kennedys, Jane’s Addiction e muitas outras, todas merecedoras.

Mas a melhor parte de hoje é que a minha mãe, que me deu as chaves para o piano e as artes, e meu pai, que me ensinou sobre trabalhar duro e comunidade, estão aqui com a minha família. E como o Dave disse antes, apenas eles sabem a distância entre Big Sandy, Montana, e o Barclays Center (NY). Então, isso é para todas as crianças de pequenas cidades que tem um sonho. Obrigado a todos que nos apoiam e nos inspiram: nossos grandes amigos, todos que trabalham com a gente, com a banda. Kelly e o George estão com a gente por 27, 26 anos. Mas especialmente para a Pandora, que aguenta a minha consistente inconsistência todos os dias. Obrigado. Eu te amo.


-EDDIE VEDDER-

Ok. Vocês são muito gentis. Muito obrigado. Eu quero começar agradecendo todos que… vieram antes da gente. Os trilobitas, tetrápodes, primatas, homo erectus. Sem eles estaríamos muito menos evoluídos. E aqui estamos… na nossa tecnologia moderna, na era da tecnologia moderna, e ainda muito para evoluir. It’s evolution, baby.

Então, mudança climática é real. Isso não é notícia falsa. E nós… nós não podemos… não podemos ser a geração que a história irá olhar para trás e pensará: por que eles não fizeram tudo o que era humanamente possível para resolver essa imensa crise do nosso tempo. Tudo pode ser obtido. O Chicago Cubs ganhar a World Series. Essa… essa é a prova. E eu uso essa analogia em relação à mudança climática porque… pode ser feita, mas aqui é a questão: não temos 108 anos para esperar.

Sortudo e grato são duas coisas que sou, todos os dias. Sou grato por estar vivo. Eu gostaria de pedir desculpas publicamente aos membros da banda por fazê-los sofrer, com um cantor que escalava as vigas, e se pendurava em canos, pulava de balcões… Eles não mereciam isso.

Mas, vocês sabem, eles não conheciam a pessoa que contrataram, que o cantor deles era… tinha muito a ver com o Evel Knievel. Mas foi também o poder da música. Eu juro, eu costumava sustentar o meu corpo com apenas um dedo. Mas se a música não estava tocando, eu não conseguiria nem com as duas mãos. É o poder do rock and roll. Apenas uma imagem. Quando eu penso em altitudes, eu penso na minha esposa, Jill. Vocês sabem, uma pipa não voa se não tiver alguém segurando o fio.

(Eu te amo, Eddie!)

Ah, querida, eu achei que você estava sentada na frente.

Mas é muito importante, especialmente se a pipa vai alto demais no ar, você precisa confiar muito na pessoa que segura a linha. E essa pessoa tem que ser leal e acreditar em você, e ter a força de puxar você de volta. Então, à minha esposa, Jill, obrigado. E eu estou animado com os nossos dias futuros no chão, juntos. E eu fico feliz de segurar a corda quando você plana também.

Minhas duas filhas, Olivia e Harper. Eu tento ensinar a elas tudo o que sei, e então elas me ensinam o resto. O que é mais do que… mais do que eu sei.

(Eddie!)

Já falo de você…

E se de alguma forma, de algum jeito, Chance The Rapper ver ou ouvir isso, eu só quero dizer a ele, minha filha, Olivia, te ama. E você tem nosso total apoio. E também, Chance, quero agradecer por todo o trabalho que você faz em Chicago. Esse é o tipo de ativismo que nos dá esperança. Assim, essas três garotas, eu nem consigo falar, eu amo elas mais do que tudo.

E isso é muito, e eu digo muito porque eu realmente amo o The Who. E os Ramones, The Band, Fugazzi, Iggy Pop, Sleater-Kinney e Guided by Voices, e a lista continua porque ouço música todos os dias da minha vida, por toda a minha vida. E muito disso foi em apartamentos pequenos. Quando cresci, vivia em lugares apertados com a minha família. Minha mãe está aqui… meus irmãos.

Minha mãe… ela cuidou muito bem… Ela… Ela não falava para a gente baixar o volume, ela meio que virava fã das bandas que a gente tocava bem alto. E meus irmãos, crescemos juntos ouvindo toda essa músicas juntos. Eu sempre tento tocar nossas músicas, nossas novas músicas, para eles primeiro. Eles são um ótimo barômetro e me conhecem há muito tempo, então eles sabem quando estou compondo alguma merda, e me mantém honesto e mantém os álbuns verdadeiros.

Jase, Mike, Chris, saudades. Gina, eu te amo.

Vocês sabem o quanto tive sorte ao conhecer o Jack Irons. Eu trabalhava em um clube… Ali está o Jack. Eu trabalhava na equipe de um show do Joe Strummer, em um pequeno clube em San Diego. Antes do turno da meia noite, eu conheci o Jack, que era o baterista do Red Hot Chili Peppers. Ele é também um membro da família do Hall da Fama. Ele está aqui hoje. Se não tivesse conhecido ele, nada disso teria acontecido, porque eu não teria conhecido o Jeff nem o Stone, e não estaria nesse lugar. Eu provavelmente nem estaria nesse planeta, certamente não no lugar que estou agora.

Jack, muito obrigado, e obrigado pela sua amizade. E… e você foi um ótimo baterista para o nosso grupo! De alguma forma tivemos muito sorte de ter esses bateristas. E, sabe, sentar no… banco… ou no trono, porque eles eram todos reis. Tivemos a sorte de que todos foram ótimos. Mas Matt Cameron foi aquele que nos manteve vivos pelos últimos 15, 16, 17 anos.

Em um momento que não sabíamos se – não tínhamos certeza do que aconteceria, ele fez com que a gente não apenas sobrevivesse, mas lutasse. E ele virou um dos nossos irmãos. E ele acabaria recebendo esse prêmio com a gente ou com o seu outro grupo, que é, aliás, bom pra caramba. Então, ele vai voltar.

Nós tivemos o grande Dave Abbruzzese. Ele era um grande baterista – é um grande baterista. É um puta baterista! E desejamos tudo de bom para ele.

Matt Chamberlain, Jack, e agora o Dave Krusen, que pudemos tocar juntos nessa última semana pela 1a vez em 25 anos. É muito bom vê-lo, ele é uma ótima pessoa. E falando em Daves – Dave Abbruzzese, Dave Krusen – eu quero agredecer muito ao Dave Letterman por participar dessa honra com a gente. Ele não sabe, mas quando eu trabalhava em um turno na madrugada – por 4 anos esse turno – eu ficava lá das 11 às 7, e havia uma pequena TV vermelha… Eu era segurança, e lá estava a pequena TV vermelha e o Dave como co-piloto todos os dias da semana, todas as noites que trabalhei por 4 anos.

E, ter ele aqui hoje, é uma honra ser honrado por ele. E ele tinha tantas bandas boas no seu programa. Eu assisti tantas bandas que mais tarde viraram grandes influências tocarem pela 1a vez no Letterman Show. E eu só vou contar rapidamente o meu lado da história quando fui ao estúdio dele, peguei o microfone e cantei “Black”.

Ele fazia aquele “Doo-doo-doo doo-doo-doo-doo. Doo-doo-doo”. Ele fazia aquilo todas as noites por uns 3 meses. Eu sempre assistia ao programa e aquilo estava me deixando louco. E depois começou a ficar estranho. Um dia eu lembro que fumei uma pequena coisinha, estou lá sentado, final da noite. Estou relaxado. E quando ele começou a perguntar: “Paul, quando… quando que essa banda virá ao programa? Quando estarão no programa?”

Ele responde: “Eu não sei. Eu não – Você chamou eles?” “Eu não”. E ele começa a olhar para a TV – eu estou alto pra caralho, e o Dave Letterman, que era o meu co-piloto quando eu era segurança, olha para a câmera, que está virada para o meu quarto, “Eddie… Venha aqui, Eddie”. Eu pirei. Eu achei que a TV estava falando comigo. Eu enlouqueci.

De verdade, sabe, você talvez precisa ir para reabilitação. Você está viajando demais.

Por último, nós passamos por muita coisa, esse grupo, e se não fosse por todos que ligavam para nossa música, se não fosse por todos que foram aos shows e trouxeram suas energias… Essas foram as coisas que nos mantiveram unidos, e nós sentimos uma responsabilidade pela música que era maior do que nós, ou seja lá o que eram nossas necessidades pessoais ou de espaço – nós sabíamos que éramos melhores juntos do que separados.

E foram você que juntaram a gente e moldaram uma irmandade e uma família. Eu amo muito essas pessoas. E amamos ficar juntos, e amamos fazer turnê juntos. Amamos tocar. Amamos compor. Amamos gravar. E… acho que estamos na metade do caminho para merecer algo de tudo isso… um prêmio dessa estatura, talvez metade do caminho. Mas isso é muito encorajador e ficamos agradecidos. E obrigado, muito obrigado.

Anúncios

10 thoughts on “Vídeo: ‘Pearl Jam no Hall of Fame’ Legendado em Português”

  1. Acho que temos um recorde! Nunca antes na história deste site, um post tão grande. Estão de parabéns pelo trabalho. Valeu !!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s