Análise: Help Help

Os cenários propícios para um álbum amado e odiado por boa parte do público do Pearl Jam estavam pavimentados ao longo da estrada de 2000 até o segundo semestre de 2002. A angústia, a falta de esperança, e também a desilusão política vivida no início da nova era criaram uma catarse musical das mais complexas e ao mesmo tempo palpáveis de se ler em um disco. De todos os caminhos adotados a cada álbum em particular na história da banda, o Riot Act é o que me emite a maior verdade, a maior e mais evidente entrega de sinceridade com o resumo da ópera; mundo, fãs e banda.

Todos esses ingredientes resultaram em um álbum cru, raivoso, as vezes desproporcional e íntimo ao mesmo tempo. Há excessos em todos os campos, o que fez de Riot Act um disco oito ou oitenta na carreira da banda. Por ser um disco pouco polido e ‘enfeitado’, e por abordar questões direta e indiretamente conectadas à banda, suas músicas não aparecem com frequência nos shows do Pearl Jam nos últimos anos. Há quem diga que essas músicas não fazem mais sentido hoje em dia (próprio Eddie já citou isso explicando porque a banda não toca mais a música Get Right).
Toda essa introdução precisava ser colocada para contextualizar a música que será analisada, Help Help.

Help-sm-u7eg2g

Help Help é a décima primeira música do disco, é uma música de Jeff Ament e Eddie Vedder, porém quem rouba toda a cena nela é Matt Cameron com sua bateria totalmente fora de tempo (assim como em outras músicas do disco), e Mike McCready que conseguiu entender o sentimento que Jeff e Eddie tentaram captar para a música.

Help Help é uma música com uma sequência de power chords que se repete do início ao fim de maneira cadenciada seguindo o baixo. Jeff (assim como Stone) é um compositor bastante imprevisível em suas escolhas dentro de uma música. Ao analisar suas composições, você consegue entender o quão sensacionais são os rumos que cada música toma quando precisam expressar aquilo que eles querem transmitir. Em Help Help, a linha de baixo e a bateria fora do tempo, juntamente com o vocal sempre perfeitamente colocado de Eddie Vedder nos transmite um senso de ruínas, desmoronamento. A música começa calma, e vai seguindo de uma maneira onde tudo parece que vai desmontar a qualquer momento, pela forma como a bateria é levada principalmente. Junto a isso temos um vocal sereno, tranquilo e conformado de Eddie, que nos dá uma falsa sensação de que tudo está bem, até chegar ao refrão onde a guitarra de Mike desenha a real situação de desespero em que a música se encontra. Mike dá poder à Help Help, e sua entrada eleva a bateria e o vocal que antes estavam desconectados totalmente. É insanamente incrível o trabalho de Mike nessa música em termos de composição musical.

A música volta ao começo em sua metade, como se precisasse acontecer tudo de novo para que algo mudasse. A única mudança é no pré-refrão, que dessa vez é repetido duas vezes antes do refrão principal.

Liricamente Help Help se enquadra junto de Get Right como uma música que faz pouco sentido a ser analisada fora de contexto. Porém se você olha para o entorno, para o disco, ela cumpre seu papel de forma irreparável.

A letra nos faz pensar que o protagonista não quer mais lutar, nem resistir… Ele apenas quer as mentiras, já acostumado com elas. Se no início houve uma calma em sua forma de apresentar suas palavras, essa calma era de conformidade. Se um dia ele lutou, essa luta o esgotou e em Help Help ele apenas quer ser mais um conformado que grita por ajuda desesperadamente. Essa ajuda pode ser interpretada de várias formas, mas eu creio que, pela conformidade apresentada na letra e na forma de cantar, ele pede ajuda em relação a si mesmo, para que ele não se torture com a realidade apresentada e sobretudo para que resgate algum fiapo de esperança que se perdeu. O protagonista é seu pior inimigo e crítico, e isso o fez desistir de tudo e se conformar com os cenários ruídos.

Mais para o final a música encorpa e o coro de outras pessoas (restante da banda) pedindo ajuda e isso ascende a fagulha que precisava no protagonista, onde ele vomita toda sua raiva motivada pelo grito em socorro de outras pessoas. Aquele protagonista alienado à situação deixa de existir, e passa a expor uma liderança em relação as demais vozes pedindo socorro. Tudo isso entrelaçado ao aumento de volume ao máximo da banda em todos os instrumentos. Mike entra com seus solos furiosos, a bateria fica raivosa, o coro, tudo ganha força como se aquele discurso final mostrasse que juntos eles podem, além de pedir socorro, protestar!

Help Help cumpre seu papel no Riot Act. Não é uma das melhores composições da banda, não há brilhantismo e nem muitos fãs que gostam dela. A esquisitice criada é difícil de ser engolida, mas quando se começa a perceber a verdade impregnada dentro dela, você começa a entender o Riot Act inteiro.

Como eu disse no início, considero o Riot Act um disco verdadeiro e singular na discografia do Pearl Jam. Help Help jamais funcionaria em outro àlbum, ou de outra maneira. Dentro do Riot, ela é fundamental para, além de reafirmar a derrota implícita no disco, ascender uma das poucas fagulhas de esperança que ainda existiam no disco, na banda e até nos Estado Unidos naquela época.

Tradução de Help Help

Texto: Cristiano Feix

Anúncios

Um comentário em “Análise: Help Help”

  1. Top, mano… Fiquei de cara! Me lembro de quando comprei o álbum em seu lançamento e quando escutei músicas “Help Help” e “You Are” pela 1ª vez, fiquei pensado: “Que massa que os caras ainda estão trazendo estilos inéditos e músicas diferentes em sua discografia”.

    Muito loco também que eles estão fazendo uma das melhores turnês essa da Europa/2018, tocando canções de todos álbuns, lados-b e resgatando com mais frequência as músicas do “Binaural” e do “Riot Act” nos shows.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s