I Am Mine

Pearl_Jam_-_I_Am_Mine_album_cover

I Am Mine é uma grande música, e para mim o símbolo do Riot Act. Ela diz tudo que o Eddie gostaria de dizer: critica as pessoas que são manipuladas (religião, opinião, etc.) e dá uma solução para o problema, o velho e bom “seja, acima de tudo, você mesmo”, uma pessoa autêntica e verdadeira com os próprios princípios. Mesmo com toda essa problemática presente nas músicas do Riot Act, I Am Mine é a uma espécia de resposta, o Eddie parece estar vendo as coisas mais claramente; pode ser apenas um lampejo, mas isso acontece:

 “I know I was born and I know that I’ll die
The in between is mine

I am mine”

Se que nasci e sei que vou morrer;
o que está no meio de tudo é meu.

Eu sou meu.

Citando ainda o Eddie:

 “The selfish, they’re all standing in line

Faithing and hoping to buy themselves time”

 Os egoístas estão fazendo fila,

com fé e esperança de que podem comprar o próprio tempo.

 “The ocean is full ’cause everyone’s crying”

 O oceano está cheio porque todos estão chorando.

 Essas frases dão uma ideia de como ele se sente alguém “de fora”, que já viu a luz, ao contrário dos egoístas e dos que choram. Mas como toda letra do Eddie, há uma certa tristeza e ressentimento; ele menciona o quanto nós esquecemos de nós mesmos, de cuidarmos da nossa mente, dos nossos sentimentos; valorizar o que temos aqui nessa vida; ou seja, tudo aquilo que está sendo deixado para trás:

“And the feelings that get left behind…”

 E os sentimentos que foram deixados para trás…

 E depois:

 “And the meaning that get left behind…”

 E o significado que foi deixado para trás…

 Sentimentos e significados. Tudo que precisamos aqui nessa vida: sentir algo e descobrir um significado nisso; seja ele amor, amizade, saudade, dor; não importa: ao valorizarmos nós mesmos, acabando descobrindo o outro. Não devemos ficar se lamentando, precisamos olhar para nós mesmos e nossa finitude, buscando agir, fazer algo. O sofrimento, como disse o Eddie, cresce quando é negado:

 “The sorrow grows bigger when the sorrow’s denied.”

 Por isso que I Am Mine é o refrão desse álbum; ela é completa: mostra o problema, mas também oferece uma solução (isso não acontece no Binaural). Sofremos, sim; mas também podemos fazer algo, encarar as coisas, admitir que somos apenas “nós mesmos”, mas que esse “Eu”, quando unido, pode fazer muita coisa. No final das contas, o que o Eddie faz é nos indicar o primeiro passo: seja verdadeiro primeiro com si próprio; isso já é um belo início! Se cada um fizer isso, teremos um mundo com muito mais paz, amor, e empatia (citando um outro poeta).

Publicado no blog dia 22 de Março de 2013.

Anúncios

Um comentário em “I Am Mine”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s